Pular para o conteúdo

BLOG-Epagri

Epagri vence três categorias do Prêmio Fritz Müller

A Epagri é a instituição que venceu o maior número de categorias do Prêmio Fritz Müller 2022: “Agricultura Sustentável”, “Turismo ecológico e sustentável” e “Recuperação de áreas degradadas”.  O prêmio será entregue na noite do dia 29 de novembro, na sede da Federação da Indústria do Estado de Santa Catarina (Fiesc), em Florianópolis, e  também será transmitido ao vivo no canal do Youtube do Instituto do Meio Ambiente de SC (IMA).

Concedido pelo IMA, o Prêmio Fritz Müller é o principal reconhecimento ambiental do Estado, destinado a projetos e iniciativas que vão além da legislação ambiental e que resultam em benefícios para o desenvolvimento sustentável. O nome do prêmio é uma homenagem ao naturalista alemão Johann Friedrich Theodor Müller, que viveu em Santa Catarina por 45 anos. Participam empresas públicas e privadas, instituições, órgãos governamentais, cooperativas, ONGs, institutos e organizações que atuam em território catarinense, com projetos desenvolvidos no estado. O concurso está dividido em 12 categorias.

Conheça os projetos premiados da Epagri:

Melhora Maçã

Cultivares de maçã da Epagri são produzidos com menos impacto ao meio ambiente (Foto: Aires Mariga)

Vencedor da categoria “Agricultura Sustentável”, o projeto Melhora Maçã consiste no programa de melhoramento genético da macieira, desenvolvido pelas estações experimentais da Epagri em Caçador e em São Joaquim. O projeto foi inscrito no prêmio por um dos pesquisadores do programa, Marcus Vinicius Kvitschal.

Segundo ele, a conquista do prêmio se deve aos cultivares desenvolvidos pela Epagri mais adaptados ao clima de Santa Catarina e mais resistentes às doenças. Nos dois casos, as tecnologias permitem ao produtor produzir frutas com menos agrotóxicos, proporcionando à população o acesso a uma alimentação mais saudável com menor impacto ao meio ambiente.

Revitalização do rio Água Verde em Canoinhas

Iniciado em 2020 em Canoinhas, no Planalto Norte, o projeto venceu a categoria “Recuperação de áreas degradadas”. Ele foi inscrito no prêmio pelo extensionista Juliano de Oliveira e foi desenvolvido em parceria com a Apremavi (Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida).

O projeto atende a uma demanda da comunidade, que sofre com o baixo volume de água do rio Água Verde, afluente do rio Canoinhas. As ações desenvolvidas foram o plantio de árvores nativas para resgatar áreas degradadas, plantio de erva-mate em localidades próximas a cursos de água e educação ambiental nas escolas da região. Segundo Juliano, essa iniciativa é uma das etapas do projeto, que está em andamento.

Até o momento 28 famílias foram beneficiadas, 12,6 hectares de área receberam plantio de 20.350 de mudas de florestas nativas e de erva-mate. “A área recuperada está em pequenas propriedades e a erva-mate também pode auxiliar na renda futura das famílias”, diz o extensionista.

Concurso Caminho da Mata Atlântica

Por meio de desenhos, estudantes da Grande Florianópolis mostraram o conhecimento de cada um sobre a Mata Atlântica (Foto: reprodução de desenho de Juliane Giacomini, estudante de Guabiruba)

Este projeto envolveu o serviço de extensão social dos 24 municípios da Grande Florianópolis e foi o vencedor da categoria “Turismo ecológico e sustentável”. Ele foi inscrito no prêmio pela extensionista Liagreice Cardoso, de Santo Amaro da Imperatriz.

O concurso buscou aproximar a comunidade escolar da Mata Atlântica, presente fortemente no Estado e principalmente na região da Grande Florianópolis. Com o intuito de incentivar a comunidade escolar a conhecer o Caminho da Mata Atlântica, trilha brasileira que, quando finalizada, terá mais de 3 mil quilômetros, o concurso de desenhos e fotos convidou os participantes a desbravarem a diversidade do bioma. Participaram 635 estudantes com desenhos e 117 professores com fotos.

Segundo Liagreice, a iniciativa comprovou a força da extensão social na Empresa e deve ter continuidade na região, visto que teve uma repercussão muito positiva nas escolas.

Informações e entrevistas

– Marcus Vinicius Kvitschal, pesquisador da Estação Experimental da Epagri em Caçador, fone: (49) 3561-6837;

– Juliano de Oliveira, extensionista rural da Epagri em Canoinhas, fone (47) 3627-4093;

– Liagreice Cardoso, extensionista social da Epagri em Santo Amaro da Imperatriz, fone (48) 9693-0339.

Informações para a imprensa

Gisele Dias, jornalista

Fone: (48) 99989-2992 / 3665-5147

Skip to content