Pular para o conteúdo

BLOG-Epagri

Cartilha da Epagri dá recomendações para o cultivo de mangarito

A Epagri publicou uma cartilha com recomendações para o cultivo do mangarito (Xanthosoma riedelianum Schott), desde a escolha da área até a pós-colheita. A publicação tem 15 páginas, é gratuita e pode ser obtida no site da Epagri.

De sabor muito peculiar, o mangarito se parece muito com a batata (Foto: Antônio Henrique dos Santos/Epagri)

De sabor muito peculiar, o mangarito se parece muito com a batata e se desenvolve melhor em regiões de clima quente e úmido, características encontradas nos municípios do Vale do Itajaí, onde está concentrada a produção desse tubérculo. No estado são normalmente cultivados dois materiais genéticos, o branco e o roxo, este último assim chamado em função da cor de parte da folha e da casca dos tubérculos.  Os meses mais indicados para o plantio são agosto e setembro, e a colheita é realizada de maio a junho.

Os autores da cartilha são o pesquisador da Estação Experimental da Epagri em Itajaí, Rafael Morales, e o extensionista do escritório municipal da Epagri em Itajaí, Antônio Henrique dos Santos.  Segundo eles, o mangarito foi inicialmente domesticado e cultivado pelos índios, hábito alimentar absorvido posteriormente pelos imigrantes alemães que passaram habitar a região do Vale do Itajaí. “Por conta disso, há um senso comum em Santa Catarina de que se quiser encontrar plantas como inhame, cará, taiá e mangaritos, deve-se procurar em municípios onde residam descendentes alemães”, pontuam os autores na obra.

Para ter acesso à cartilha, clique aqui.

Skip to content