Químico da Epagri desenvolve método rápido para avaliar o princípio ativo do guaco

O guaco é usado para produção de medicamentos distribuídos pelo SUS desde 2009 (Fotos: EEI/Epagri)

O químico da Estação Experimental de Itajaí (Epagri/EEI), Fabiano Cleber Bertoldi, desenvolveu um método analítico mais rápido e econômico para determinar a principal substância ativa do extrato de guaco (Mikania glomerata Sprengel): a cumarina. Essa substância, por ser um dos principais constituintes do vegetal, também é classificada como marcador químico da espécie no controle de qualidade de formulações que têm a planta como base.

Bertoldi explica que a técnica pode reduzir o tempo de análise em até 95%, uma vez que existem métodos que chegam a 20 minutos. “Além do tempo reduzido, essa análise gera menos resíduos, seguindo, dessa forma, os princípios da química verde”, diz ele. Para dar mais credibilidade ao trabalho, o método foi confirmado no Laboratório de Espectrometria de Massas ThoMSon, do Instituto de Química da Universidade de Campinas, referência na área.

A descoberta de Bertoldi é de grande importância para a sociedade, pois os medicamentos fitoterápicos à base de guaco vêm sendo utilizados em larga escala pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no tratamento de doenças do aparelho respiratório. O guaco faz parte da lista de registro da Anvisa e está no elenco de referência de medicamentos e insumos complementares para a assistência farmacêutica na atenção básica em saúde.

A recomendação da Anvisa é de que a dose diária máxima de cumarina seja de 4,89mg. “Portanto, a quantificação dessa substância é importante para verificar a eficiência e a qualidade do medicamento, bem como prevenir efeitos colaterais em decorrência do uso excessivo, que pode causar vômitos, diarreias e hipertensão”, afirma o químico. Segundo a Farmacopeia Brasileira para guaco-cheiroso, o controle de qualidade de extratos de guaco é baseado no teor de cumarina mínimo de 0,1%.

Fabiano Bertoldi diz que a técnica pode reduzir o tempo de análise em até 95%

Apenas um minuto

Bertoldi desenvolveu o método durante pesquisas desenvolvidas com o objetivo de lançar em breve o primeiro cultivar de guaco do mundo. Ao realizar análises de diferentes acessos de guaco do Banco de Germoplasma de Plantas Bioativas da Epagri/EEI, bem como de experimentos de cultivo em outros municípios, ele observou que era gasto um tempo considerável para a quantificação da cumarina e que o processo era oneroso por conta dos solventes químicos usados. O mesmo problema era enfrentado pela indústria de fitoterápicos local. “Nosso trabalho propôs estabelecer um método analítico rápido e confiável, chegando ao resultado em apenas um minuto”, diz.

O novo método já ganha elogios e futuros adeptos, como é o caso da Indústria Tauens Farmacêutica, de Tubarão. “O desenvolvimento de técnicas para o rápido doseamento dos marcadores químicos de fitoterápicos é de interesse da indústria farmacêutica, pois diminui o consumo de solventes, agiliza o processo de validação e revalidação da técnica e reduz o tempo de espera para liberação da produção quando da realização dos controles de processo produtivo. A implantação da técnica desenvolvida pela Epagri vai gerar um grande impacto na rotina do laboratório de controle de qualidade”, diz o empresário Luiz Kanis.

(Publicado em Vol. 29, nº3, set./dez. 2016)