FAO destaca projetos desenvolvidos pela Epagri

Produção integrada de cebola reduz o uso de fertilizantes e agrotóxicos (Foto: Aires Mariga/Epagri)

Dois projetos desenvolvidos pela Epagri foram reconhecidos pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) como boas práticas para o desenvolvimento sustentável. O projeto de Produção Integrada de Cebola e a Rede de Propriedades de Referência Tecnológicas (Reprotec) agora fazem parte da plataforma digital de boas práticas da Organização. “A divulgação pelo site da FAO é uma grande conquista, uma vez que dá ampla visibilidade nacional e internacional ao trabalho da Epagri”, destaca o pesquisador Francisco Gervini de Menezes Júnior, da Epagri/Estação Experimental de Ituporanga.

Segurança alimentar

O Sistema de Produção Integrada de Cebola (Sispic) envolve uma série de técnicas que buscam garantir alimentos seguros para o consumidor. Um dos pilares desse sistema é a rastreabilidade: o produtor, o técnico e o fiscal adotam procedimentos que permitem acompanhar todo o processo produtivo, de forma a certificar a qualidade do que será colhido. Para isso, todas as práticas adotadas na lavoura são registradas em cadernos de campo.

O sistema permite reduzir o uso insumos como fertilizantes e agrotóxicos e diminuir os custos de produção. Em várias propriedades acompanhadas, a produtividade foi cerca de 8t/ha superior à dos cultivos tradicionais. “Não foram encontrados resíduos significativos de agrotóxicos nos bulbos de cebola coletados nas lavouras de produção integrada”, diz Francisco Gervini. O Sispic prevê, também, a adoção de práticas de conservação do solo.

A Estação Experimental de Ituporanga é a coordenadora desse projeto, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O trabalho é desenvolvido com apoio da Estação Experimental de Caçador e dos escritórios municipais da Epagri de Alfredo Wagner, Atalanta e Ituporanga, além do Instituto Federal Catarinense/Campus Rio do Sul. O projeto ainda conta com a participação de representantes de associações nacionais e estaduais de produtores e de comerciantes locais.

Carne de qualidade

Desenvolvido em propriedades produtoras de bovinos de corte do Planalto Sul catarinense, o Reprotec é conduzido pela Epagri e pela Associação Rural de Lages com financiamento da Fapesc. O objetivo é aumentar os índices produtivos da atividade e a rentabilidade das propriedades.

Os coordenadores do projeto, Cassiano Eduardo Pinto e Newton Borges da Costa Junior (respectivamente pesquisador e extensionista da Epagri), atribuem essa conquista ao fato de o projeto aliar preservação ambiental e produtividade. Os resultados de quatro anos de trabalho mostram que é possível dobrar a produção de terneiros nas propriedades dedicadas à cria e produzir mais de 670kg de peso vivo/ha. Mais informações sobre o Reprotec estão na reportagem de capa desta edição da RAC.

A FAO é uma organização que atua para a erradicação da fome no mundo, para o progresso econômico e social e para a gestão e utilização sustentáveis dos recursos naturais. É uma organização que atua como um fórum neutro, reunindo 191 países-membros, mais a Comunidade Europeia.

Para ver os projetos da plataforma de boas práticas de produção da FAO, acesse: http://www.boaspraticas.org.br/.

(Publicado em Vol. 29, nº2, mai./ago. 2016)