UFSC desenvolve hidrogel curativo à base de casca de banana

A pesquisa abre novas possibilidades de uso para a casca da fruta (Foto: Luiz A. Peruch/Epagri)

Um grupo de seis pesquisadores do Laboratório de Morfogênese e Bioquímica Vegetal da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) conquistou uma patente pelo estudo do potencial cicatrizante de compostos bioativos presentes em cascas de banana orgânica e pelo desenvolvimento de um hidrogel curativo. O fármaco à base de extrato aquoso das cascas da fruta foi mais eficaz na cicatrização quando comparado a outro curativo similar disponível no mercado. O projeto recebeu apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) no Programa Universal.

O método de extração dos compostos das cascas de banana prata-anã levou à obtenção do registro de uma Patente de Processo junto ao Departamento de Inovação Tecnológica da UFSC, em parceria com a Epagri e o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio). Nos testes em laboratório realizados com camundongos, o hidrogel promoveu total cicatrização da lesão em menor período de tratamento, comparativamente aos animais dos grupos de controle.

A grande vantagem no uso desse material como fonte dos compostos bioativos é que as cascas são um resíduo gerado pela indústria de alimentos pouco explorado, utilizado geralmente em compostagem ou apenas descartado. “Os extratos demonstraram potente atividade cicatrizante, sugerindo que a seleção de espécies para o desenvolvimento de fitofármacos é bastante útil, podendo inclusive agregar valor a um resíduo da indústria”, explica Aline Pereira, coordenadora da pesquisa, tema que resultou em sua tese de doutorado em Biotecnologia e Biociências.

O produto, puro e contendo o extrato em sua composição, não apresentou sinais de citotoxicidade no ensaio in vitro e demonstrou valor de pH próximo ao fisiológico, sendo considerado biocompatível. Ele pode ser utilizado em lesões na pele e para a cicatrização de pequenos cortes.

As amostras para realizar esse estudo foram obtidas na Estação Experimental de Urussanga (Epagri/EEUr).

POUCOS ESTUDOS NA ÁREA

A casca de banana tem uso popular como agente cicatrizante, mas existem poucos estudos relacionados ao seu aproveitamento, mesmo em outras áreas de pesquisa. “Alguns artigos tratam de diferentes aplicações práticas para a casca de banana, por exemplo: a produção de álcool, metano, alimentação para gado ou adsorventes à purificação de água”, relata Aline Pereira.

Por ser produto natural, a casca também poderia ser usada como composto funcional na nutrição humana e nos cuidados com a saúde. “Compostos fenólicos, flavonoides, ácidos graxos, fitoesteróis e carotenoides são alguns compostos de alto valor já identificados em cascas de bananas”, completa Aline.

(Publicado em Vol. 29, nº3, set./dez. 2016)