Campos de Palmas: um ecossistema ameaçado

A vegetação campestre do sul do Brasil, também chamada de campos, está incluída em dois biomas brasileiros: o bioma Pampa, correspondente à metade sul do estado do Rio Grande do Sul, e o bioma Mata Atlântica, formando mosaicos com as florestas na metade norte do Rio Grande do Sul e nos estados de Santa Catarina e Paraná.
Os Campos de Palmas fazem parte dessa vegetação campestre presente no sul do Brasil, formada por campos naturais,
entremeada por manchas ou capões de Mata com Araucária (Floresta Ombrófila Mista Alto-Montana). A extensão dos Campos de Palmas já ocupou grande parte do território de municípios localizados na divisa entre os estados do Paraná e Santa Catarina, próximos ao município de Palmas, PR.

Nesse sentido, com objetivo de proteger os remanescentes dos campos nativos nesta área, foi criada em 2006 a Unidade de Conservação Refúgio de Vida Silvestre dos Campos de Palmas (RVS-CP), com 16.582 hectares, os quais abrangem os municípios de Palmas e General Carneiro, no Paraná, e o município de Água Doce, em Santa Catarina, com maior extensão no município de Palmas, PR.